sexta-feira, 25 de julho de 2008

Em paz

Escolhas são assim,
Eterno principio-fim.
Me traí. Desejei ver-me
ao chão, (in) feliz.

Perder o bem,
Dissipar egoísmo.
Espuma do ventre.
Interior meu.

Entro, nada há.
Seco arrependimento.
Dentro, há nada.
Adentro. Fada.

Ínfima chama nossa.
Tua brancura cega.
Seremo-nos entre
do nada, um tudo.

Nulo

3 comentários:

  1. A melhor escolha, no fim, é essa nada, que é tudo e nem é escolha.

    ResponderExcluir
  2. eu tenho dedo podre pra escolher as coisas
    só se disso

    ResponderExcluir